Acima de “hetero” e “homo”

Publicado: 19/05/2011 em Reflexão, Sexo, Thiago Ornelas

Bom Dia, Boa Tarde e Boa Noite, minha galerinha antenada.

Em meio a um dos dias mais frios do ano, em que eu poderia estar dormindo, tomando chocolate quente, vendo filme, comendo fondue ou namorando, venho aqui trocar uma idéia com meus queridos leitores. Viram, vocês são importantes.
-Ah, isso não te interessa?
(Argh)
-Ok, então vamos logo ao assunto desse artigo.

Muito se tem visto no Brasil nesses últimos meses a temática da homossexualidade circular pelos meios de comunicação e rodinhas de amigos. No entanto o tema só é lembrado na hora de dar opinião, criticar ou apoiar, além claro, das brincadeirinhas infinitas. Ir às raízes do assunto parece complexo demais para quem tem muitos realities shows para acompanhar.
Não estou aqui para criticar uma posição ou outra. Mas também não hesitarei em expor meu ponto de vista. O motivo de eu vir falar sobre isso é a necessidade de ser pensar esse assunto além do que é mostrado na televisão; é a necessidade de se pensar esse tema na seriedade que ele traz, pois envolve pessoas, envolve vidas.

O Brasileiro traz consigo o orgulho de ter sempre uma piadinha suja na ponta da língua. E esse, claro, é um dos temas preferidos. Mas quando o assunto é sério, as fugas são rápidas e desesperadas. Na real, quem já levou um papo sério sobre sexo com a família? Quando você começou a descobrir sua sexualidade e suas necessidades, foi fácil relevar seus medos e duvidas?

 Numa roda de amigos os pais gabam-se de falar de SEXO com seus filhos. Os filhos por sua vez, descobrem da maneira mais prática possível, que toda aquela teoria que seus pais os passavam nada ou pouco tem de realidade.
Quem não se lembra daquelas cartilhas infantis e das palestras dadas na escola, que ensinavam a colocar camisinha e falavam sempre a mesma coisa: “Tem que se prevenir das DSTs” “Sexo só com a pessoa mais confiável do mundo”. Como se sexo tivesse como vertente apenas a gravidez e as doenças. Não que não sejam importantes e consideráveis, mas esse assunto não se resume ao campo biológico.

É fato. Fala-se muito pouco sobre a parte séria do sexo e sexualidade no nosso país. Ao mesmo tempo, todos nós sabemos que sexo e sexualidade vão além do fator biológico. São muitas questões na cabeça dos pré-adolescentes. Juntando essa carência, as duvidas existentes e os medos, temos como resultado mentes confusas, mal formadas, cheias de pré-conceitos mal estruturados.
Há não mais de uma semana vimos mais uma ação do Sr. Jair Bolsonaro, que apesar de seus estudos, nunca aprendeu do que se trata essa tal de educação e o primo respeito. O Deputado dessa vez resolveu lutar com todas as armas alcançáveis contra uma iniciativa do MEC de realizar a distribuição de um material didático para 6 mil escolas de Ensino Médio, que segundo descrição oficial visa conscientizar os adolescentes de que homossexualidade não é doença nem qualidade, e sim uma característica, a fim de acabar com preconceitos.
O político que em outras oportunidades já expos de maneira agressiva suas idéias e ideais, criou uma cartilha homofóbica, repugnando tudo que possa vir de uma relação entre pessoas de mesmo sexo, apoiando-se na justificativa de que o material do MEC estaria incentivando o homossexualismo.
Não incentivo o homossexualismo, não acho que seja um bom (e fácil) caminho a se seguir, não acho que deva ser incentivado, não acho certo que as novelas tentem impor a nossas cabeças que é a coisa mais natural do mundo, mas também não acho que seja crime.
Se o Bolsonaro detectou erros na cartilha, parabéns para ele…que tivesse debatido a questão de maneira digna e adulta. Segundo ele o material apresentava frases e imagens de incentivo as praticas homossexuais.
Obvio que ninguém deseja ter um filho homossexual, inclusive nem os próprios. Pois somos fruto de uma criação que vem desde a época de Adão e Eva, que mostra que menininhos gostam de menininhas e menininhas gostam de menininhos. Mas dizer que gays devem apanhar até que esse comportamento seja corrigido, me parece no mínimo ignorante e irracional.
Homossexualismo é um aspecto da condição humana que tem profundos efeitos sobre a vida dos indivíduos, das comunidades e da sociedade como um todo. Logo, toda ação mal pensada contra ele afeta a condição humana.
No nível social, há notavelmente pouca tolerância com as variáveis expressões de orientação sexual e tende a haver uma obrigação em identificar os indivíduos como sendo heterossexuais ou homossexuais. Esquecendo que antes de hetero ou homo, somos humanos, e por assim sermos, todos merecemos respeito.
Quando houver heterofobia, deverá ela também ser questionada.
Que os homossexuais assim sendo, vivam com dignidade e verdade, trabalhem, estudem, amem e  (se) respeitem.

Paz e Saúde,

Até a próxima,

ThiagOrnelas!

Anúncios

Os comentários estão desativados.