Educação: vergonha nacional

Publicado: 13/05/2011 em - Nós 4 -, Críticas, Taíza Gama

Olá, pessoal!

O post de hoje é um desabafo.

Sei que muitos que leem o blog não conhecem ou nem se quer ouviram falar em São Gonçalo mas – me desculpem – eu preciso desabafar.

São Gonçalo é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Sua população em 2010 era de 999 90habitantes, sendo a segunda cidade mais populosa do estado, depois da capital.

Na Educação, a cidade se destaca com a Faculdade de Formação de Professores (UERJ- FFP), onde eu estudo. =)

Este é o maior polo especializado do estado em formação de professores, tendo como resultado mais visível a enorme quantidade de aprovados nos concursos públicos por todo o Brasil.

Sua importância é ampliada quando analisamos que é um polo avançado de formação de pessoal de nível superior por parte da UERJ numa das principais cidades do estado do Rio de Janeiro. Seus discentes são residentes, em sua maioria, de São Gonçalo. Porém, em ordem decrescente, as cidades de origem dos mesmos são: Niterói, Rio de Janeiro, Itaboraí, e municípios da Baixada Fluminense, entre outras.

Mas, apesar da UERJ, a cidade é uma vergonha em tudo quando se trata de educação.

A taxa de analfabetismo é tão alta que nem o site da prefeitura divulga. Claro!

Como se isso não bastasse,  a nossa queria prefeita Aparecida Panisset decidiu, além de muitas outras sujeiras, fazer campanha política com o dinheiro público.

No início do ano letivo em 2011, professores da rede municipal de ensino receberam agendas fornecidas pela prefeitura. Produzida com RECURSOS PÚBLICOS, a agenda tem fotos da prefeita  participando de  eventos na cidade. Mera propagando política!

A prefeita aparece acompanhada de seu irmão, o deputado estadual Márcio Panisset e futuro candidato ao cargo de Prefeito de São Gonçalo . Há ainda outras dezoito fotos de ações promovidas pelo poder Executivo local nas quais a imagem da prefeita aparece novamente. Cerca de mil professores receberam as agendas.

Estamos diante de um caso claro de improbidade administrativa, onde o dinheiro público foi empregado com desonestidade e deslealdade.

Para se defender, a bonita Secretaria de Educação informou não saber que esse tipo de foto não podia ser utilizado em material institucional. Como assim “não saber”????

Me lembrei agora de um artigo da Lei de Introdução ao Código Civil que diz:

Art. 3º Ninguém se escusa de cumprir a lei, alegando que não a conhece.

Até o momento, a prefeitura não divulgou o custo das impressões; o que já era de se esperar.

Enfim…

Repito aqui o que disse no facebook essa semana:

“O pior é saber que isso não vai dar em nada e você vai votar no aliado dela nas próximas eleições.”

O povo gosta de sobrer!

Enquanto isso, tem gente lutando pelos seus direitos

Professores fazem paralisação em 12 Estados

Trabalhadores em educação de 41 entidades de todo o país ligadas à Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) paralisaram as atividades e fizeram um protesto em frente ao Congresso Nacional por melhores condições de trabalho e pelo cumprimento do piso salarial nacional.

Os trabalhadores também reivindicam a aprovação, ainda este ano, do Plano Nacional de Educação e a aplicação de 10% do PIB (Produto Interno Bruto) na área.

É injusto que um profissional de Brasília receba R$ 3.000 de salário, enquanto o de Minas, que exerce a mesma função, recebe R$ 1.300, no Rio esse valor é ainda menor.

Para o presidente da CNTE, Roberto Leão, é preciso que o governo priorize a educação. “São escândalos a toda hora, é desvio de merenda escolar, dos recursos do Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica], desvio de função de educadores, se não houver valorização da educação e dos professores, a carreira vai acabar, pois não vai atrair novos profissionais, os jovens hoje não querem mais ser professores”, disse.

A vida não é fácil, minha gente!
Anúncios
comentários
  1. Renan Silva disse:

    Parabéns pelo post, Taíza.
    Infelizmente as pracinhas e o superfaturamento das obras são as prioridades da nossa atual gestão. Adoraria que o Ministério Público e os tribunais de conta dessem uma maior atenção ao nosso município, fazendo um trabalho sério, punindo e publicando as punições.

    Renan

  2. Os professores e a população é desvalorizada enquanto os políticos enxem os bolsos com faturamento das obras.Isso não é novidade