E o pó debaixo do tapete…

Publicado: 14/04/2011 em Críticas, Política, Reflexão, Thiago Ornelas

Quando não estão ocupados demais aprovando aumentos incríveis nos próprios salários como os que vimos no início deste ano, que, para quem não lembra, foi aquele aumento de 61,83% nos salários dos próprios parlamentares, de 133,96% no Presidente da República e de 148,63% no  do vice-presidente e dos ministros de Estado;  agora, nossos grandes deputados resolvem ressuscitar o Projeto de Lei do Senado n° 170/06. A pérola constitucional apresentada pelo Senador Valdir Raupp (PMDB-RO) em 2006 visa proibir e criminalizar “o ato de fabricar, importar, distribuir, manter em depósito ou comercializar jogos de videogames ofensivos aos costumes, às tradições dos povos, aos seus cultos, credos, religiões e símbolos.”
Eu não consigo ignorar  a ideia de termos em votação tais projetos de leis absurdos, enquanto nossas leis ditas essenciais, demoram meses ou anos para serem votadas, quando em caráter emergencial. Mas fiquei surpreso com essa em especial quando fiquei sabendo que tem gente dando corda nessa idéia. A ressurreição foi apoiada pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado e ainda teve acréscimo da nobre senhora senadora  Serys Slhessarenko (PT-MT), que provavelmente não tem filhos, pois senão pensaria duas vezes antes de falar tais asneiras, que resolveu sugerir uma mudança supimpa para os incríveis jogos que trazem o selo de aprovação do Papa: a substituição da palavra videogame (“origem inglesa”) para “jogo eletrônico”. Desculpem, parece, mas não é piada.

“Em cumprimento a essa determinação judicial, o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, órgão ligado ao Ministério da Justiça, pediu que os Procons estaduais e municipais fiscalizassem a venda e distribuição dos referidos jogos Counter Strike e EverQuest. Diante disso, proibiram a distribuição e a comercialização de livros, encartes, revistas, CDROM, fitas de videogame ou computador desses referidos jogos.
Portanto, as autoridades brasileiras têm entendido que esses jogos trazem a tônica da violência que seriam capazes de formar indivíduos agressivos, influindo sobre o psiquismo e reforçando atitudes agressivas em certos indivíduos e grupos sociais.”

(FITAS DE VIDEOGAME?)

Interpretaçãozinha rápida. Isto significa que — depois de votar um novo e “merecido” aumento salarial para a classe — os senadores vão discutir o projeto em plenário, dormir, adicionar emendas, dormir, corrigir o texto, dormir e quando tudo estiver pronto votar a aprovação do projeto.
Depois disso a coisa segue se enrolando um pouquinho mais na câmara dos deputados. Pera lá…Na Câmara a coisa funciona diferente, o circo tem quem mande. Tiririca coloca seus estagiários para lerem e fazer qualquer mudança argumentativa para o projeto ser aprovado e enviado para a sanção da Senhora Presidente da Republica.

Enquanto isso as investigações de crime financeiro e de falsidade ideológica que tem como acusado o Sr. Valdir Raupp ficam paradas.
Mas como no Brasil estabeleceu-se a lei dos assuntos generalizadores, no momento, se não é culpa do Bullying é do Videogame.
Lembram daquele maluco que invadiu a escola e matou criancinhas, e que isso  teria sido feito por causa de bullying…?AHAAA. Nada disso, a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) investiga as influencias de jogos como GTA e Counter Strike (CS) nos atos do inaceitavelmente psicopata, onde o jogador carrega a arma com auxílio de um Speed Loader, um carregador rápido para revólveres, usado por ele no massacre de alunos na Escola Municipal Tasso da Silveira. Nos dois jogos, acumula mais pontos quem matar mulheres, crianças e idosos.
Os detalhes desse caso serão interessantes para estudantes de distúrbios mentais. Para a imprensa, já deu, não há muito mais de relevante a reportar a não ser a necessidade de sangue derramado ou a dor das vítimas. Se ele gostava de videogames violentos, se era fanático religioso ou se tinha barba grande são detalhes que satisfazem a curiosidade mórbida do grande público e ajudam a criar um perfil do adolescente CLARAMENTE bullinado e atordoado pelos jogos, e faz com que as pessoas acompanhem o caso como quem assiste o final de uma novela de Manoel Carlos, até que um outro absurdo aconteça e um novo perfil seja traçado, mas não explicam a situação.
É mais fácil assim, pois falar de educação, saúde pública, discutir um controle mais rigoroso da venda e porte de armas, elaborar uma campanha para educar as pessoas a detectarem e tratar  jovens com transtornos psiquiátrico e votar leis sérias emergenciais, dá trabalho, toca em feridas abertas….PASSEMOS PARA A PRÓXIMA.

Mostremos para os nossos Senhores representantes que estamos de olho neles.

 

E para os amantes de videogame….

As Leis dos Videogames

As tartarugas vermelhas são mais inteligentes (e perigosas) que as verdes.

Se você estiver dirigindo e ver um raio brilhante ou qualquer objeto estranho de cores chamativas e agradáveis, passe por cima. Se X acelera, A é o turbo.

Atirar na cabeça é mais eficaz que em qualquer outra parte do corpo.

Nem todas as caixas podem ser empurradas. Muito menos todas as portas podem ser abertas.

Só pise no acelerador quando o sinal abrir.

Em alguns casos, estrelas são mais importantes que moedas.

Não importa qual a distância que você esteja do gol, sempre chute da lateral.

Com socos e chutes você quebra carros com mais facilidade do que usando barras de ferro.

Não importa o modelo. O carro azul corre mais.

Gol olímpico é mais fácil que gol de falta.

Nunca é a última fase.

Select é tão útil quanto o Scroll Lock ou um bloco amarelo com uma exclamação.

Às vezes, uma facada funciona melhor que um tiro.

A vida não tem continues infinitos.

Você pode construir uma civilização somente com pedras, ouro e madeira.

Quando uma pessoa morre ela pisca até desaparecer.

Meia lua para frente + soco forte = algo interessante.

Paredes com rachaduras costumam guardar segredos.

O reforço sempre chega depois que você mata todo mundo.

No final das contas, você se fode para salvar o mundo ou uma mulher.

Dirigir pode ser muito mais interessante caso você esteja ouvindo “Highway Star”, “Paranoid” ou “Born to Be Wild”.

As melhores épocas de nossas vidas são as fases bônus.

PAC MAN nada mais é que correr atrás de balinhas enquanto se ouve uma música repetitiva. Ou seja, uma rave.

Você não precisa saber uma única nota musical para ser um astro do rock. Basta ter coordenação motora.

Paradas para abastecer o carro ou o avião atrapalham muito.

Nem todas as caixas de madeira são quebráveis. Só as mais brilhantes.

Barris explosivos são muito bons para matar um grande grupo de pessoas. Basta um tiro certeiro.

Nem todos os canos verdes o levam até o esgoto.

Não existem castelos sem lava.

Quase todos os heróis começam a vida deitados numa cama.

Pouco me importa se não adianta nada. Morrermos apertando Start para a introdução passar mais rapidamente.

As chaves podem ser do seu tamanho, mas você acha um lugar para guardá-la.

Correr no gelo escorrega. Muito.

Nem todos os rios estão para nado.

Comidas costumam te encher de vida.

Seu carro capotou, saiu da pista e explodiu? Ok, aguarde um instante que ele vai voltar piscando.

Cogumelos verdes. Não morra antes de provar pelo menos um.

Você pode carregar milhares de itens, sem nem precisar possuir uma mochila.

A maneira mais rápida de se ir de um ponto para o outro é correr fazendo zigue-zague.

Só há duas maneiras de se fazer gol: chutando de primeira ou driblando o goleiro.

Vilões nunca morrem,só desmaiam por um tempo e voltam pra foder com a sua vida.

Não tente reviver sua avó com a pena que você arrancou do rabo do seu periquito.

As melhores coisas que você pode ter para destruir o inimigo é uma espada pesando 1 tonelada e um cabelo que desafia a gravidade.

Apertar o botão com mais força não faz o personagem pular mais alto.

(Super Nintendo) – O único jeito de fazer gol é entrando na área em diagonal e chutar no outro canto. Caso queira driblar o goleiro, ele arranca a suas pernas.

Não importa o quanto você corra, você nunca alcança o chefão.

Se você encostar em uma tartaruga, você fica pequeno.

Em jogos de Faroeste nunca atire nos touros!!!

ThiagOrnelas

Anúncios
comentários
  1. Macaco Pipi disse:

    AEHAEHEAHAEEA
    BOAS
    E A MAIOR SE ENCAIXA BEM