A América Latina na onda da fumaça

Publicado: 27/08/2009 em Críticas, Reflexão

america da maconha

 

Por Thiago Ornelas

Está aí, a Argentina mais uma vez passa pelo caminho do Brasil, digo mais uma vez relembrando a boa e velha rivalidade futebolística. Mas desta vez parece que o Brasil está admirando a antiga “rival”, logo quando deveria esquecer que ela existe.
Pois bem, o Brasil amanheceu nesta quarta feira com a noticia de legalização da maconha para uso próprio, anunciada pelos vizinhos Argentinos. A medida foi tomada pela Suprema Corte após analisar o caso de 5 jovens detidos em 2006 com 3 cigarros da erva. Esta considerou inconstitucional a aplicação da Lei de Entorpecentes, sendo portanto banida qualquer atitude contra os rapazes. A decisão da Corte veio uma semana após o México também aderir a nova “moda”.
Segundo especialistas essa seria a mais nova caminhada em conjunto da América Latina, onde de um em um, todos os países deverão adotar a legalização ou a descriminalização. Mas espera aí…América Latina…América do Sul…Brasil. É, ao que tudo leva a crer o Brasil estaria na antessala da legalização, seguindo o exemplo da vizinhança.
A decisão dos Hermanos, ou melhor, a possível futura decisão nacional mexe com as mais diversas opiniões e são levantados diferentes pontos de vista. E a apesar de grande parte da população ser contra –  sim, população, aquela que não é considerada nas tomadas de decisões – o assunto já atrai movimentos favoráveis, muitos deles liderados por pessoas famosas, políticos e “ídolos”. Uma das principais figuras ligadas a “Marcha pela Legalização” é o Deputado Federal Fernando Gabeira., que trouxe o assunto a público em sua campanha pela Prefeitura do RJ, onde contava até com a vinheta “Legalize já, legalize já”. Só não dá para entender no que se baseia o Deputado, já que ele mesmo afirma que a decisão faria aumentar o número de usuários e com isso aumentaria o poder financeiro do tráfico. Será que ele quer colocar em prova a eficiência e eficácia da Policia Brasileira(!?)O político vai ainda mais longe e diz que INFELIZMENTE a sociedade Brasileira não é avançada o suficiente para seguir o exemplo da Holanda e ter a Maconha vendida em lojas comuns. Desnecessário, não é?
O mundo dos blogs também já foi tomado pelo assunto, e recentemente a atriz Beth Faria usou da ferramenta para se posicionar:
 “Se legalizassem essa plantinha e eles tivessem seu ponto de venda como existe o de cerveja e cachaça, não seria preciso armas, não é? Venderiam suas plantinhas tão lindas verdinhas, como tempero, para fazer chás, bolos, e viveriam em paz no morro, coisa que, tenho certeza, muita gente que está no crime quer.”


Deixa eu tentar entender, então a partir de agora decretemos baixa a orquídeas e samambaias, plantemos maconha e enfeitemos a nossa varanda com uns vasinhos coloridos da plantinha verde. Boa…OPORTUNIDADE DE FICA CALADA.  Ela só esqueceu que o dinheiro da venda da droga vai para a compra de armas e outros equipamentos para fortificação do poder do tráfico, talvez ela lembre disso quando um de seus carros importados for roubado, ou quando um ente querido for morto por um minúsculo projétil provindo, mesmo que indiretamente, desta doce plantinha.
Autoridades policiais, como o delegado da Polinter Orlando Zaconne, também se pronunciaram, e o tônica foi um tanto quanto inesperada. Segundo o Delegado esse seria um ótimo momento de o Brasil se espelhar em outros países, até porque a maconha nem causa tanto mal quanto as outras drogas. Ok, Senhor Delegado, então façamos isso sempre, inclusive legalizemos o assassinato com Faca, porque os índices apontam para armas de fogo como instrumentos mais usados; a faca nem faz tão mal assim. E aí, legal? Acho que vais ter mais trabalho.
Outro a se manifestar foi o cantor Tico Santa Cruz, que entre as pérolas que não se distanciam muito das dos seus colegas acima, conseguiu levantar um bom ponto de vista: “Com a legalização da maconha o país em questão se tornará ponto de Narcoturismo”. Verdade, concordo com ele, mas ele só não disse em sua entrevista se isso é um ponto positivo. E aí fica a duvida em minha cabeça, será que ele sabe ao menos o que isso quer dizer?
Após mostrar um pouco do que se pensa pelo Brasilzão vou falar um pouco do que passa em minha mente. De inicio detenho-me em esclarecer que sou absolutamente contra a legalização da maconha ou de qualquer outra droga, seja de maior ou de menor efeito.
Entendo quando se fala que “tudo que é proibido é mais gostoso”, e concordo até que em certos momentos da vida é a grande verdade, mas em se considerando a seriedade do assunto e o contexto em que ele está contido não se pode dar o luxo de colocar em prática provérbios, a vida vai além disso. Sei também que cada ser humano maior de idade tem o direito de fazer de sua vida o que quiser e direcioná-la para onde bem entender, mas é preciso lembrar que fraquezas e erros existem. Se tem um caminho que promete tranqüilidade e alegria, facilitado, é claro que será a primeira opção em momentos de desespero, independente de raça, cor, etnia ou status social. Se esse caminho existe, que ao menos ele não seja de tão fácil acesso.
Muito se ouve falar “o caminho das drogas não tem volta”. Não sei se eu concordo plenamente, considero que muito vale a força de vontade e perseverança, mas considero acima de tudo que, o que precisa de volta é porque é errado, e se é errado é melhor evitar. E se esse for o caminho escolhido que seja consciente, está errado SIM.
Por fim acho que vale a pena tocar na parte mais frágil e emocional deste assunto, a família de um usuário de droga. Ao pesquisar a opinião de quem tem um familiar ou amigo que faz uso de droga, provavelmente irá se constatar o terror que essa substancia causa na vida das pessoas(envolvidas indiretamente), desde o sentimento de medo até a angustia de não saber até quando. Após a legalização, como lutar contra?
Não temos mais tempo para ouvir ex – Presidente(FHC) comparar droga com sexo, “o mundo sem droga é igual o mundo sem sexo, impossível”, alguém entende o sentido da coisa? Pois bem, quando a droga passa a ser colocada de igual para igual com o sexo, é sinal de que passamos a acreditar que ela é tão vital que não conseguimos dispensa-la. Talvez a natureza não tenha sido avisada dessa importância, vamos aumentar essa produção. Vejam só, Sexo e droga, igualmente relacionados a “coisa”, “coisa” essa inventada pela cultura, na qual em “coisa” também somos transformados. Triste Relação.
 
Acho que precisamos sim mudar muita coisa( e como precisamos), seguir sim exemplos de outros países, rever nossas Leis. Mas acredito que estamos caminhando na direção contrária. Precisamos arrumar nossa casa, colocar nosso cenário político em ordem, honrar nossa policia, colocar esperança no coração de cada cidadão e mostrar que ainda vale a pena ser honesto e trabalhador.
Se o Brasil já se encontra neste estado lastimável, acrescentando mais um fator de desordem pública a esperança começa a se dissolver e ser pulverizada no vento. Então, o que sobrará?
O Ser Humano merece é  mais respeito, preenchimento da mente e do coração. Nascemos sem o auxilio de nenhum tipo de substancia, porque passaríamos agora a depender de uma?

Se é para dizer sim que seja à Vergonha na cara.

Anúncios
comentários
  1. bruna tavares disse:

    é.. muito bonito o seu ponto de vista.. mas esta na hora d vc acordar pra vida e sair do seu continho d fadas.. o Brasil é um pais de raça mista, cada um tem a cabeça diferente, des da epoca do descobrimento do pais aqui é considerado “o quinto dos infernos”. pra ca foram mandados assassinos, ladrões, estupradores etc.. somos descendentes desse tipo de pessoa com muito mais, eu sou a favor da legalização sim, pensar q aqueles idiotas no plenario vão tomar vergonha na cara e começar a valorizar a população, impor novas leis q vão beneficiar o povo ao invés d aumentar cada vez mais o proprio salario é ser mto inocente.. se nós vivessemos em um conto de fadas onde os politicos nao são corruptos nem a policia talvez isso seria possivel sim…. A legalização vai trazer sim uma diminuiçao do poder do trafico, se vc for ver nos indices de drogas apreendidas 70% é maconha. No mundo, na america latina, no Brasil a maconha é a droga mas consumida.. Proibir o consumo é tolice ja q comprar maconhá é mais facil do q comprar 1kg de feijão, deveriam tratar os usuarios como doentes mentais e nao criminosos!

    • nos4 disse:

      Bruninha, não é questão de o ponto de vista ser bonito, é relacionar necessidades com realidades, só assim podemos pensar em algo mais aceitavel para vivermos e por isso lutar(não referindo-me ao assunto tema). Que o Brasil é, sempre foi e sempre será um país misto e diversificado é fato, e por isso devemos aceitar as diferenças, mas não necessariamente pensar igual a todo mundo, seria incoerente. E se o país é considerado “o quinto dos infernos” cabe a nós mudar isso, mas o que acontece é que isso as vezes passa como uma desculpa para o comodismo, afinal tenho uma boa justificativa nos antepassados, mas parou para pensar que nada é imutavel? Sermos descendentes de pessoas ruins, ou seja lá o que for, não justifica o que fazemos de nossas vidas, somos aquilo que buscamos e queremos ser, não acho que, por exemplo, o filho de um traficante, traficante será, tendo em vista que vemos pais, filhos e irmãos tão diferentes…Há o carater individual, a vontade própria e a criação de valores.
      E quanto aos “idiotas” do plenário, eu não acho que eles vão mudar, muito pelo contraário, os acontecimentos do dia-a-dia tem mostrado o circo no que nossa politica se transformou(ou se resolveu se mostrar), mas a necessidade de mudança é obvia, e a dificuldade disso acontecer não deve impedir nossa vontade, afinal não estamos querendo algo tão inimaginavel assim(ao ponto de vista de uma sociedade suficientemente formada – o que, infelimente, não parece ser nosso caso). Está ruim?Sim…Estou feliz? Não. Então vamos a luta, a não ser que seja mais um caso de modinha do brasileiro, que costuma assistir tudo de cima do muro, um muro fino que permita pular com facilidade pro primeiro lado que oferecer qualquer R$10 ou dentadura. Não quer nada com luta(organizada, civilizada), prefere a eterna e única luta pela sobrevivencia, basta.
      Poder do tráfico diminuir?E o que será feito com o dinheiro então?Doado a instituições de caridade? Se fosse assim “ninguém” ia querer a legalização da maconha, tanta gente ia ter prejuizo. Acho que o conto de fadas não é só meu. Se a maconha hoje é a mais consumida mesmo sendo proibida, se legalizada ela se superará, ou melhor, talvez não…porque aí teremos a desculpa de que é legalizada, então não haverá motivo de fiscalização, é sempre assim. E que seja mais facil de comprar do que qualquer outra coisa, mas pelo menos se compra com a certeza de estar comprando algo errado, portanto, não SEMPRE criminoso, mas conivente. Saber que não pode andar na rua de cabeça erguida. Se fosse “”só”” usar seria dos males o pior, mas o que vemos pelas ruas são efeitos bastante fortes. Doente? Talvez. Colocar a culpa em doenças é muito fácil, mas não se sustenta por si só.

      Obs: Não abomino os usuários de drogas(em geral), apenas não concordo com tal atitude. Respeito acima de tudo.

      Obrigado, Bruninha.
      Seja bem vinda, sempre.

      Thiago Ornelas

    • animesubers disse:

      olá, parabéns pelo ótimo blog.

      Estou seguindo você espero uma visita se tiver um tempinho ^^

      Me siga também xD

      Abraços!

      http://Www.animesubers.com

  2. Neizinho disse:

    Ja pensei em todas as propostas possiveis sobre a liberção da maconha, os danos, os prejuizos e as consequencias. Na minha opnião, a liberação é uma tentativa de enfraquecer os traficantes diretamente e indiretamente, não havera tanto conflito com policia e enfraquecerá suas vendas, porque pensa cmg, grande parte dos consumidores vão ate as favelas ou boca de fumo, comprar essas drogas proibidamente, agora com a liberação e”concorrencia” seria mais pratico, confortavel e menos perigoso pras pessoas comprarem em lojas. Acho que essa droga ja era pra ser liberada a muito tempo, é que os politicos tem medo de botar a cara,pois a imagem que ela passou nos anos 60, 70 é que é uma droga altamente perigosa, mas se a gente for parar pra pensar, quantas drogas não são vendidas ae sem implicancia? o cigarro, a benzina,cola, e por ai vai… não sou usuario não, mas axo que tem muito que pensar e conversar a respeito disso. queria expor aqui tudo o que penso, pois na minha forma de ver tem mais beneficios do que maleficios a liberação dessa droga! sei la acho que é uma forma de enfraquecer os traficantes pois querendo ou não eles iam ter concorrencia, agora com a proibição só tem eles e o lucro é mt grande. Imagina se as casas bahia não tivesse concorrencia? ia ser a maioooor! e o trafico qual é a sua concorrencia?! essa é a questão! ha males que vem para o bem.

    • nos4 disse:

      Boa irmão,

      Achei seu comentário inteligente e bem pensado.
      Concordo em partes, discordo em outras.
      É fato que a venda legalizada da maconha traria conforto, mas isso seria algo positivo? E de verdade acho que tem muita gente por ai que adora a sensação de desafio de subir o morro(sem absolutamente nenhuma discriminação) e voltar com o prêmio. A “concorrencia” poderia tomar rumos desleais, tendo em vista que os traficantes não gostariam de perder pontos de venda. Até porque a pauta gira em torno do uso e não do tráfico, vamos com calmaaaa.
      Concordo contigo que tem outras drogas rodando livremente por aí…mas dois errados não fazem um certo, concordas?
      Independente de onde se comprará a maconha, ou quem sairá beneficiado(com mais dinheiro), sobra ainda a menos citada, mas não menos importante questão do ser humano, do corpo e da alma. Essa substancia não é uma leve brisa que passa e dá friozinho, é uma grande ventania, que passa e devasta, causa dependencia, tira do eixo, faz o individuo sair de si, desestrutura o imaginavel e o previsivel. Há quem testemunhe ter trocado tudo pelo vicio, família, bens, vontade de viver, amor próprio. Isso não é importante? Ok, sei que todo tipo de vício traz esse maleficio, mas comecemos pelos já ilicitos.

      Thiago Ornelas
      obs:o objetivo aqui não é saber quem usa e quem não usa, até porque o sentimento não muda, flw?

  3. Bruno disse:

    Em primeiro lugar quero te parabenizar sobre o execelente texto de um assunto super importante. Eu sou contra a legalização da maconha, não por eu ser politicamente correto, coisa que não sou, mas sim por acarretar vários malefícios na vida de gente que fuma e/ou não fuma. Não estou me referindo aos malefícios que pode acarretar a saúde do fumante, mas sim de toda essa violência nas grandes capitais. O financiamento desse violência que presenciamos no Rio de Janeiro é financiado pelas drogas, seja pesadas ou leves, o baseado diário de um pladyboy custa vida! Daí vem as balas perdidas em quem nada tinha a ver com essa história. O assunto é muito mais complexo do que “Ahhh fuma quem quer”, não é assim. Sei que o Brasil é “maconheiro” e sendo assim deve-se liberar geral? “Ahhh todo mundo já fuma mesmo…” não concordo muito com isso. Sei que a bebida e o cigarro tbm são drogas e pq só a maconha é proibida… tá aí uma boa questão. Não sei responder. Não sei se mudaria muito o nosso hoje com a legalização, mas como ela apenas tem a intenção de aumentar o númeo de usuários (…) e não coibir o plantio caseiro, vamos ver o que vai dar, outubro está chegando.

    • nos4 disse:

      Obrigado, Bruno.

      Estou me esforçando, um dia eu chego lá. ONDE? Não sei…mas eu chego.

      Concordo contigo quanto a essa tônica dos efeitos causados pela erva, problema até mais importante do que medir quem fica com mais dinheiro e quem vende mais, até porque se fala de VIDA. Quanta gente pagando sem nem saber o porque, quantas famílias sofrendo, quantas vidas destruidas.
      É necessário?
      Ou será que a legelização vai acabar com a dependencia também?
      Se alguém disser que sim eu mudo rapidinho de opinião.
      Porque só a maconha é proibida? Porque alguém já teve, um pouco antes, a brilhante ideia de legalizar as outras drogas, está aí..deu no que deu. Afinal, quem nunca fumou um cigarrinho? São poucos.
      Coma alcoolico então, está na moda.
      Os pensamentos que tu levantou são reflexo do pensamento mediocre a que somos direcionados “ó país fracassado que já tráz em sua origem a justificativa para tanto tropeço”. Na origem, será?

  4. Arthur disse:

    Como sempre tudo sobra para o Brasil.
    Sou a favor da legalização, afinal cigarro e álcool também são drogas
    tudo é uma questão cultural.

    http://arthurmelo92.blogspot.com/

  5. Tiago Dadazio disse:

    QUEM QUISER FICAR LOUCO E MORRER, FODA-SE!

    O LEGAL FOI O TITULO DO POST…ONDA DA FUMAÇA…AEHHAEHAEHAE!

  6. Bom, não li a sua postagem inteira.
    Mas pelo que li, posso dar a minha opinião sobre isso.

    Se na Holanda (País de primeiro mundo, diga-se de passagem), a maconha é “liberada”, no Brasil, país emergente como é, com o tráfico que tem, eu acho que deveria ser legalizada sim.

    É claro que se liberassem esse uso, e não tivesse um comércio aberto para a mesma, o tráfico aumentaria trocentas vezes mais. Mas acredito que se houvesse lugares específicos para a venda, não teria problema algum! E esses lugares não é favela e nem boca de fumo, podemos usar como exemplo as casas de Ubanda, o pessoal vende sua mercadoria em lugares estratégicos, não é em todo lugar que eles vendem, com a maconha poderia acontecer o mesmo.

    Na minha opinião a legalização não diminuiria o tráfico, porque as drogas mais viciantes sempre serão proibidas (cocaína, crack e etc.). Mas pelo menos seríamos um país mais “aberto”, ninguém precisaria ficar fumando maconha escondido por ter medo de ser preso. Oras, quer ficar doidão? Que fique! E o resto que se dane.

    O cigarro que é milhões de vezes mais prejudicial a saúde é liberado, porque a maconha não???

    Acho que deveria ser legalizada sim! E quem não goste, que não compre!!!

    Abraço.

  7. Nayla disse:

    Precisamos fazer mais pesquisas sobre o que é prejudicial à mente, à saúde, à vida social etc. Liberar ou não liberar agora faz parte de interesses econômicos, pessoais, de gente “poderosa” envolvida que não quer mais se expor, ficar na mão de quem fornece sua alienação e vício ou de empresários, governantes ávidos por lucros, impostos. O tráfico já é sobrevivência e status. Dificilmente a curto prazo vai mudar sem a internalização espontânea de valores morais, éticos, de educação e humanidade.
    Nós, independente de qualquer coisa, precisamos, conscientemente, saber o que é a realidade do vício e de sua prisão e não entrar nessa.

    • nos4 disse:

      De fato… Só que acho que simples decisões podem causar graves problemas. Apenas um “sim” pode trazer tantos problemas para familia e para esse complexo chamado Sociedade.
      Muitos não entendem que o problema não gira “apenas” no entorno de se matar, prejudicar a própria saúde. Usando a linguagem dos mais agressivos “Dane-se”, o problema maior é para quem está a volta, quem nada tem a ver com a história. Afinal, sempre acaba havendo pedaços espalhados dos cacos.

  8. diegofrutuoso disse:

    Sou contra essa legalização, acho que não diminuiria o crime, como muitos dizem, só legalizaria ele, imagine só que cena estranha, um traficante alugando um espaço pra fazer uma boca organizada. Sem contar que o governo vai taxar, e malandro nenhum vai querer pagar imposto pro governo. Na minha opinião é besteira fazer isso, o Brasil deveria se preocupar com muitas outras coisas antes de pensar em pensar em legalizar a maconha ou qualquer outra droga aqui.
    Só mais uma situação, imagine a quantidade de pessoas se afundando em dividas, se o pessoal as vezes vende tudo em casa pra comprar droga, imagina então o povo passando cheque, cartão de crédito , ABSURDO!